Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conhecer Cabo Verde

Conhecer Cabo Verde

18
Jun18

Breve historia da Ribeira Grande de Santiago

Solange

images.jpg 

Ribeira Grande (hoje chamada Cidade Velha), é o berço da “Cabo-verdianidade”, a primeira cidade, construída pelos Europeus, na África subsaariana. Situada a cerca de doze quilómetros da atual capital de Capo Verde (Praia), Ribeira Grande é um vale verdejante, às bordas do mar, cujos monumentos são testemunhos de seu passado. Foi aqui que ocorreram, cinco séculos atrás, os primeiros contatos entre europeus e negros da costa africana e foi este encontro que gerou o nascimento de um novo povo.

É na Cidade Velha de Santiago que nasceu o Homem crioulo. Foi o ponto de encontro dos primeiros europeus e negros da costa de África trazidos para o povoamento dessas ilhas.

Do cruzamento destas duas raças distintas originou uma população mestiça.

À miscigenação que se traduz não só no aspeto físico, mas também no aspeto cultural. A evolução do dialeto crioulo, com diferenças de uma ilha para outra onde as variantes fonéticas provêm de muitas línguas africanas, fica a dever-se a miscigenação atrás referida.

A antiga cidade da Ribeira Grande teve ainda um papel preponderante no apoio à expansão portuguesa e no desenvolvimento do comércio e de navegação de longo curso. Cidade Velha foi ainda a primeira capital eclesiástica e civil em Cabo Verde.

Por decisão de D. Fernando, que a havia recebido em doação de seu irmão D. Afonso (rei de Portugal), a ilha de Santiago foi dividida em duas capitanias imediatamente concedidas aos dois capitães donatários: a parte meridional a António da Noli e a setentrional a Diogo Afonso.

Estabeleceram-se assim também duas agregações de população, a de Ribeira Grande e a de Alcatrazes.

Em 1462 chegou o primeiro núcleo de habitantes a Ribeira Grande: António da Noli acompanhado de alguns membros de sua família e por algumas pessoas do Algarve. E os primeiros escravos vieram, deste modo, importados da Guiné, inicialmente para o povoamento e como garantia de exploração da terra e, logo depois, para venda a outros Países.

Poucas pessoas de acordo com as expectativas da Coroa que, em 1466 (12 de junho), publica “a Carta dos Privilégios” que incentiva e dá início ao verdadeiro povoamento da ilha.

A Carta dos Privilégios ligará também a história política e administrativa da costa da Guiné a Cabo Verde, ambas integrantes da Diocese de Funchal (Madeira).

Em 1472, em reação à “indisciplina comercial” dos habitantes de Santiago (tráfico de escravos e produtos exóticos), é publicado um documento que restringia o comércio de escravos e dos produtos, além de reduzir algumas das regalias dos habitantes. Seis anos após o início da colonização, começavam as dificuldades para os moradores de Ribeira Grande.

16
Jun18

Cachupa (em crioulo-catchupa

Solange

Cachupa-Tradicional.jpg

 

O prato mais conhecido de Cabo Verde é a cachupa (em criolo-catchupa),comum em todas as ilhas.

São dois tipos de cachupa existentes em Cabo Verde, a rica e a pobre. A rica como o nome anuncia é a feita pelos ricos, ou seja pelas pessoas que possuem melhores condições financeiras, isso devido ao fato dessa receita englobar uma variedade de carnes e de outros ingredientes (feijão, mandioca…) que dão mais sabor à cachupa. A cachupa pobre é a feita pela maioria da população, que não possui condições financeiras para elaborar uma rica e pelo fato de existir famílias que fazem esse prato quase todos os dias, principalmente a dos agricultores. Na cachupa pobre, no lugar da carne, utiliza-se o peixe, que em Cabo Verde possui um custo menor em relação à carne. A cachupa pode ser desgostada tanto em caldo como guisada. Ingredientes da cachupa: 1l de milho de “terra” (cochido) 2,5dl de favona (espécie de feijão-branco grande, com as pontas vermelhas.) 2,5dl d feijão-pedra (feijão-vermelho) 2l de água 150g de toucinho 2 Cebolas grandes 4 Dentes de alho 1 Chouriço médio 6 Folhas de couve-portuguesa ou couve lombarda 1kg de entrecosto de porco 400g de batata-doce 400g de abóbora 1 Chispe de porco Sal e piripiri a gosto Preparação: O milho é preparado num almofariz (pilão de madeira). Coloca-se aí o milho bem molhado, e com um pau vai-se pilando até ficar sem pele. Depois desta operação vai ao sol secar. Em seguida, deita-se num balai (cesto do género de bandeja redonda, em verga, que serve para peneirar) onde é retirado o pelo do milho que foi extraído no pilão. Estando limpo, põe-se em água a cozer a favona, o feijão-pedra, o toucinho, as cebolas, os dentes de alhos picados, o chouriço e o chispe. Quando o milho estiver quase cozido, mete-se o entrecosto, a couve cortada aos bocados, a abóbora e o piripiri. Juntam-se as batatas-doces, que são cozidas à parte. É preciso verificar para que o caldo não seque. Fica com bastante molho. Serve-se em pratos fundos. Cachupa rica Ingredientes: 500g de frango 500g de carne de vaca de cozer 1 Pé de porco 1 Chouriço 1 Morcela 1 Farinheira 150g de toucinho 100g de banha 2 Cebolas 3dentes de alho 1folha de louro 1l de água, aproximadamente 0,5l de milho 3dl de feijão-pedra 3dl de favona 4 Folhas de couve portuguesa 300g de batata-doce 200g de abóbora 300g de banana verde 1 Ramo de salsa Sal e piripiri Preparação: Demolha-se o feijão e o milho. No dia seguinte, cozem-se. À parte, cozem-se as carnes e o toucinho. Noutro tacho cozem-se também as folhas da couve cortadas aos bocados, a abóbora em cubos e a banana às rodelas grossas. Leva-se um tacho ao lume com a banha, as cebolas e os dentes de alhos picados, a folha de louro e o ramo de salsa. Logo que a cebola comece a ficar mole, misturam-se as carnes desossadas e cortadas aos bocados, e as hortaliças, tempera-se com piripiri e adiciona-se a água da cozedura das carnes e a água simples (para não ficar um caldo muito forte). Ferve um bocadinho em lume brando, para apurar.

16
Mai18

Cesária Évora (A diva dos pés descalços)

Solange

cesaria.jpg

 

Cesária Évora nascida em 27 de Agosto de 1941 em Mindelo (Cabo verde).

Tinha quatro irmãos. O pai Justino da Cruz tocava cavaquinho, violão e violino. Quando jovem foi viver com a avó, que havia sido educada por freiras, e assim acabou passando por uma experiência que a ensinou a desconsiderar a moralidade excessivamente severa. Entre os amigos estava B. Leza, o compositor favorito dos cabo-verdianos, que faleceu quando ela tinha apenas sete anos de idade. Desde cedo, Cize, como era conhecida pelos amigos, começou a cantar e a apresentar-se aos domingos na praça principal da cidade, acompanhada pelo irmão Lela, no saxofone. Mas a vida está intrinsecamente ligada ao bairro do Lombo, nas imediações do quartel do exército português, onde cantou com compositores como Gregório Gonçalves. Aos 16 anos, Cesária começou a cantar em bares e hotéis e, com a ajuda de alguns músicos locais, ganhou maior notoriedade em Cabo Verde, sendo proclamada a "Rainha da Morna" pelos fãs. Aos vinte anos foi convidada a trabalhar como cantora para o Congelo - companhia de pesca criada por capital local e português -, recebendo conforme as actuações que fazia. Em 1975, ano em que Cabo Verde conquistou a independência, Cesária, frustrada por questões pessoais e financeiras, aliadas à dificuldade económica e política do jovem país, deixou de cantar para sustentar a família. Durante este período, que se prolongou por dez anos, Cesária teve de lutar contra o alcoolismo. Cesária chamou a esse período de tempo, os Dark Years. A casa de Cesária Évora Encorajada por Bana (cantor e empresário cabo-verdiano radicado em Portugal), Cesária Évora voltou a cantar, atuando em Portugal. Em Cabo Verde foi convidada por José da Silva a ir para Paris onde acabou por gravar um novo álbum em 1988 "La diva aux pieds nus" (A diva dos pés descalços) - que é como se apresenta nos palcos. Este álbum foi aclamado pela crítica, levando-a a iniciar a gravação do álbum "Miss Perfumado" (1992). Desde então fixou residência na capital francesa. Cesária tornou-se uma estrela internacional aos 47 anos de idade. Em 2004 conquistou um prémio Grammy de melhor álbum de world music contemporânea. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, distinguiu-a, em 2009, com a medalha da Legião de Honra entregue pela ministra da Cultura francesa Christine Albanel. Em setembro de 2011, depois de cancelar um conjunto de concertos por se encontrar muito debilitada, a editora, Lusafrica, anunciou que a cantora pôs um ponto final na longa carreira. Morreu no dia 17 de dezembro de 2011, com 70 anos, por "insuficiência cardiorespiratória aguda e tensão cardíaca elevada". Um jornalista espanhol do jornal "Público" falou com ela 36 horas antes de sua morte, em sua casa, em Mindelo.

24
Abr18

...

Solange

c7a96jmt.jpg

Sejam Bem-vindo ao meu blog!!!

 

O objectivo deste blog, é demonstrar algumas maravilhas da minha terra natal (Cabo Verde), ou seja demonstrando a nossa cultura, retratar algumas figura conhecidas do país, apresentando paisagens das nossas ilhas, entre outras coisas que podem interessar para conhecer Cabo Verde.

Garanto que iram gostar, aguardem para ver os próximos post, onde posso começar a mostrar o que tenho para vos oferecer.

Obrigada pela vossa visita, voltem sempre!!!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D